quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Teoria Crítica


A Teoria Crítica é, por um lado, uma construção analítica dos fenômenos que investiga, e por outro lado, como capacidade pra atribuir esses fenômenos às forças sociais que os provocam. a Teoria Crítica foi desenvolvida pelo cientistas da Escola de Frankfurt, aproveitando das dinâmicas da sociedade da época, como, por exemplo, o autoritarismo e a mais importante pro estudo da Teoria Crítica: a indústria cultural.

O termo indústria cultural substitui o termo "cultura das massas" pois era entendido como uma cultura que brotava das massas, uma arte popular. A indústria cultural faz, na verdade, consumidor se sentir soberano, mas não verdade esse consumidor dessa indústria é um objeto. A indústria também faz acreditar que ela sempre está se renovando, mas é algo que é sempre igual.

A indústria cultural trabalha pra que as pessoas sejam como elas querem, impedindo a formação de indivíduos autônomos, independentes e  e capazes de julgar e decidir inconscientemente. Isso que foi dito pode até ser aplicado à Teoria do Espiral do Silêncio, que porventura não foi uma das teorias escolhidas no nosso trabalho: as preferem ouvir a música que está tocando na novela, o filme comercial que está fazendo sucesso, ou o livro que todo mundo fala que é bom, mas que ao ser lido, percebe-se que tem um roteiro que não é um dos melhores. 

A manipulação que a indústria cultural faz pode ser considera fácil por as pessoas terem preguiça? Em parte, sim. A população de modo geral quer que tudo seja cômodo. É mais fácil assistir a uma telenovela, do que ir ao teatro. É mais fácil assistir um filme que está fazendo sucesso, do que procurar um filme que realmente tenha uma história e uma fórmula inédita. É mais fácil, também, ouvir a música que está tocando no rádio, do que procurar cantores novos ou cantores antigos que primam mesmo por uma música bem escrita, uma música que não fale só sobre traição.



Para citar um exemplo: o teatro realista trabalha com diversos conteúdos, que representam dores, preocupações ou alegrias humanas. Na telenovela ocorre uma mudança, onde o amor ocupa o tema central de todas as representações. Algo que na vida real preenche apenas em parte ou momentos da vida. E as telenovelas têm sempre essa fórmula de ter o "mocinho" e o personagem mau. Ou seja, muda-se em partes, mas o todo continua.

Outro exemplo referente indústria cultural é um filme policial: cada espectador sabe com absoluta certeza como o filme chegará ao fim, e a tensão só é mantida superficialmente e e impossível obter um efeito sério. Ao contrário, o espectador sente, durante todo filme, que está em um terreno seguro.

Para finalizar, a gente nota, também, que a música é feita numa linguagem que os consumidores pensam ser a sua. Quantos menos a música é, para eles, uma linguagem de difícil entendimento e fora da sua realidade, mais a música é usada como um refúgio, um abrigo para eles. Quanto mais dura é a vida moderna, mais as pessoas se sentem tentadas a agarras a clichês que parecem lhe conferir uma certa ordem àquilo que, de outra forma, seria incompreensível.

Nenhum comentário:

Postar um comentário